14 de março de 2008

O amor não se descreve...


Porque o amor não se descreve… sente-se…
Porque o vejo nos teus olhos cada vez que olhas para mim,
Porque o sinto na pele cada vez que me tocas,
Porque o ouço na cabeça de cada vez que dizes o meu nome…
O amor sente-se… e eu sinto-te a ti, porque te amo, porque te quero mais que tudo neste mundo.
O amor não se descreve... sente-se…
E eu fico aqui, nestas alturas em que nos encontramos distantes, a sentir-te, com tanta força que por vezes julgo poder tocar-te…
O amor não se descreve… sente-se, como eu te sinto a ti, e tu me sentes a mim,
Naqueles abraços que damos, nos beijos que trocamos, nas conversas que temos, o amor está lá… porque não é preciso eu dizer-te que te amo com todas as forças para tu o saberes, porque não precisas de me dizer que me amas porque eu vejo-o nos teus olhos…
O amor não se descreve… sente-se…
E eu fico aqui… só a ver-te respirar enquanto dormes, porque sei que me sentes, como eu te sinto a ti…
Autor Desconhecido

Sem comentários: