22 de julho de 2009

Selo " Olha que blog Maneiro"



Regras:

1 Exiba a imagem do selo "Olha que blog maneiro"

2 Poste o link do blog que o indicou

3 Indique 6 blogs da sua preferência

4 Avise seus indicados

5 Publique as regras

6 Confira se os blogs indicados repassam o selo e as regras



Os meus 6 indicados:




R.C.

Mary Rose's Sweet Diary

Blogger (Blogspot) - justme-cutepoeticgirl

Meus Apontamentos

"Amanha nao vais ter tanto encanto..."

22 de março de 2009

Porque

Porque os outros se mascaram mas tu não
Porque os outros usam a virtude
Para comprar o que não tem perdão.
Porque os outros têm medo mas tu não.
Porque os outros são os túmulos caiados
Onde germina calada a podridão.
Porque os outros se calam mas tu não.
Porque os outros se compram e se vendem
E os seus gestos dão sempre dividendo.
Porque os outros são hábeis mas tu não.
Porque os outros vão à sombra dos abrigos
E tu vais de mãos dadas com os perigos.
Porque os outros calculam mas tu não.


Sophia de Mello Breyner Andresen

Viver sempre também cansa

"Viver sempre também cansa!
O sol é sempre o mesmo e o céu azul
ora é azul, nitidamente azul,
ora é cinza, negro, quase verde...
Mas nunca tem a cor inesperada.
O Mundo não se modifica.
As árvores dão flores,
folhas, frutos e pássaros
como máquinas verdes.
As paisagens também não se transformam.
Não cai neve vermelha,
não há flores que voem,
a lua não tem olhos
e ninguém vai pintar olhos à lua.
Tudo é igual, mecânico e exacto.
Ainda por cima os homens são os homens.
Soluçam, bebem, riem e digerem
sem imaginação.
E há bairros miseráveis, sempre os mesmos,
discursos de Mussolini,
guerras, orgulhos em transe,
automóveis de corrida...
E obrigam-me a viver até à Morte!
Pois não era mais humano
morrer por um bocadinho,
de vez em quando,
e recomeçar depois,
achando tudo mais novo?
Ah! se eu pudesse suicidar-me por seis meses,
morrer em cima dum divã
com a cabeça sobre uma almofada,
confiante e sereno por saber
que tu velavas, meu amor do Norte.
Quando viessem perguntar por mim,
havias de dizer com teu sorriso
onde arde um coração em melodia:
"Matou-se esta manhã.
Agora não o vou ressuscitar
por uma bagatela.
"E virias depois, suavemente,
velar por mim, subtil e cuidadosa,
pé ante pé, não fosses acordar
a Morte ainda menina no meu colo..."


José Gomes Ferreira

17 de março de 2009

Um caminho errado porquê?

Sabes quando estás perante dois caminhos e tens de escolher? É agora, não podes voltar atrás. A decisão tem de ser tomada. Não adianta adiar o inadiável.
À tua frente dois caminhos e apenas uma opção. Sabes qual o certo qual o errado. Especulas as consequências de cada um. Sabes o que te espera, sabes para onde irás em cada um.
O mais racional e óbvio estava à vista: a escola do melhor caminho. Mas decides ser contrária ao rumo de vida desejável e optas pelo mau caminho. Tornas-te desleal às escolhas consideradas como humanas. Segues em frente sem olhar para trás. A interrogação nasce e cresce em ti a cada passo, a cada caminhar sobre as brasas: Porquê este caminho? A resposta morre a cada suspiro, a cada movimento.
Julgas-te detentora do futuro. Capaz de mudar o rumo do caminho por onde segues. Vais de mãos dadas com a falsidade mas não a reconheces porque se esconde de ti e julgas capaz de a desmacarar e detentora de a transformar na mais pura das verdades. Sonhas com isso ao longo do teu caminhar. Mas o sonho é destruído a cada olhar. O arrependimento começa a nascer. As vozes voltam para te julgar. Observas o abismo ao fundo do caminho. Mas não haverá uma ponte?

31 de janeiro de 2009

O Presente e o Futuro da Língua Portuguesa


Quero escrever um texto.
Agora, neste momento
E dizer-te que queria que fosses como o vento
Que sempre passa

E passasses por mim neste momento
Tal e qual o vento
Que me empurra
Mas não me derruba

Vento gélido que corta
Não penses deixar-me morta
Pois não conseguirás

Mas és tempestade
Tempestade forte mas, passageira
Tempestade ameaçadora mas, inofensiva

És sobretudo uma realidade
Que me mostra a Ilusão
Da vida, do mundo, do coração
Palavras que jamais se complementarão
Nem nesta vida,
Nem neste mundo,
Nem neste coração.


Autora: Ana Pinto

O Magalhães


Cartoon: Luís Afonso

25 de janeiro de 2009

Guerra Interior!

Num estado de degradancia interior vivo cada dia.
Tudo à minha volta se está a tornar naquilo que eu mais temia
Sou tudo e, não sou nada. Sou diferente e muito igual. Enfim, sou ninguém.
Com a retórica vivo cada dia, sofro cada momento, choro cada segundo. tudo isto por ser fiel de mais às crenças da minha mente afectada e confusa.
Com memórias, vou confortando ausência daquilo que nunca mais vou poder ter completamente.
Algo que me foi retirado no momento em que quem era parte de mim partiu deste mundo e me deixou indefeso, só e sem protecção.
O meu corpo esta tão indefeso que até os mais fracos se poderiam apoderar dele. A minha alma tão rica em crenças que não é capaz de visualizar o estado em que tudo se encontra à minha volta.
Disto tudo, só consigo concluir que estou a sofrer cada vez mais e, as pessoas, não são capazes de perceber isso.
Chorando num canto escuro do meu quarto, solto um grito horrendo, tão agudo, tão profundo e tão carregado de dor, que parece que e' inaudível aos ouvidos dos que me rodeia.
Não consigo perceber qual foi o pecado que a minha alma cometeu para merecer tal castigo.
Não consigo viver desta maneira.
Não penso em por termo à minha vida. Tento-me conformar com o que me esta a acontecer apesar de não ser o justo mas, vou tentando pensar que um dia a minha alma se purificará e todo o sofrimento acabara' de uma vez por todas.
Autor: Diogo Filipe Vieira

18 de janeiro de 2009

Dicionário Feminino


Aliança ---> Garantia Financeira.

Amor Impossível ---> Um pretendente pobre.

Batom ---> Poderosa arma feminina que deixa marcas fatais.

Bolsa ---> Membro essencial no funcionamento do corpo feminino.

Cansaço ---> Vontade de ficar sozinha.

Carteira ---> Principal órgão masculino.

Certeza ---> Quase certeza.

Confiança ---> Acção incompatível com os homens.

Falta de Atenção ---> Falta de presentes.

Fracasso ---> Peder um homem para uma mulher mais magra.

Garvidez ---> Investimento a longo prazo.

Minutos ---> Horas. Principlamente antes de sair.

Maquiagem ---> Realce da beleza natural e disfarce da feiúra original.

Namorado ---> Desculpa usada para despistar homens indesejados.

Nunca ---> Por enquanto não.

Satisfação ---> Verbete desconhecido no dicionário feminino.

Talvez ---> Sim.

Terapia de grupo ---> Shopping com as amigas.

Valorização ---> Flores no dia seguinte.